Estudo dos Gastos e Investimentos em TI nos Bancos

Autor(es): 

Fernando de Souza Meirelles

Ano: 

2016

Instituição: 

FGV-EAESP

Os bancos formam um ramo da economia entre os mais informatizados e que relativamente mais gasta e investe em Tecnologia de Informação (TI), em 2015 foram 13% do total no Brasil e no Mundo. Os bancos acreditam e demonstram que investimentos em TI promovem uma crescente lucratividade e vantagem competitiva, com uma nova estrutura de serviços e custos. Este estudo tem por objetivo fazer uma análise desse fenômeno entre os bancos no Brasil, quantificando os custos, as despesas, os gastos e os investimentos em TI, sua evolução e suas tendências. Os dados levantados cobrem entre 16 e 28 anos de histórico com as Pesquisas da Febraban e do GVcia, para uma amostra de 90 bancos que atuam no Brasil e representam 96% do ativo total dos bancos. Investigando e avaliando sua evolução é possível identificar seu comportamento e evidenciar tendências importantes, entre elas, um significativo Gasto e Investimento em TI crescentes até 2015. Outro indicador analisado foi o Custo Anual por Teclado (CAPT) que nos bancos atingiu R$ 67.000 na média e o impressionante valor para o Custo Anual por Usuário (CAPU), que continua a crescer e chegou a R$ 92.000 nos grandes bancos em 2015. Pode-se observar e quantificar o crescimento explosivo do Internet e Mobile Banking. Além de ilustrar as principais tendências da Tecnologia Bancária, o texto mostra uma breve visão de futuro do Banco Digital que deve surgir depois do Banco Digitalizado que conhecemos para abrigar as novas tecnologias e os clientes nativos digitais. Na Bibliografia estão vinte e dois trabalhos publicados pelo autor sobre o tema, pela FGV, Febraban, Revista América Economia, entre outros. Esse estudo dos Gastos e Investimentos em TI faz uma avaliação, retrata a evolução e ilustra tendências nos Bancos no Brasil, como a evolução da bancarização e sua comparação com indicadores internacionais. A virtualização dos canais utilizados para as transações bancárias mostra a tendência de atingirmos 80% em poucos anos. Em suma, como veremos, TI nos Bancos é cada vez mais essencial e lucrativa.

Número de páginas: 

68

Departamento: 

IMQ

Anexos: